+55 (41) 3107-3344

|

+55 (41) 99137-1831

|

@ibrafe.org

Título da Notícia

Com padronização dos pulses, exportação de feijão pode aumentar
19.09.2019

Para aumentar a participação do Brasil no mercado externo, a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) está propondo a padronização dos pulses, que são leguminosas secas. Um dos principais produtos que pode se beneficiar com a medida é o feijão, dado que apenas 3% de toda a produção é vendida a outros países, segundo o Ibrafe (Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses).

Exemplo da importância da exportação nos negócios é o caso da Broto Legal Alimentos, em que 5% do faturamento é oriundo dessa operação. “A exportação é de suma importância para, não apenas aumentar os valores de produção, mas também diminuir a exposição no mercado interno e agregar mais valor à marca. Além de movimentar a economia do país de modo geral”, afirma Maurício Moraes, diretor de Exportação da empresa.

A marca comercializa a países como Estados Unidos, Japão, Rússia, Cingapura e Venezuela, quase 1% de toda sua produção de feijão carioca e preto. Segundo Moraes, caso a padronização comece a valer, a exportação da empresa seria beneficiada porque “A nossa classificação já é um diferencial perante o resto do mercado, mas a iniciativa também vai facilitar muito o entendimento com importadores de diversos países.”, completa.

Vale destacar que o projeto da CNA mira em países onde a demanda por estes produtos é alta, porém, atualmente, a entrada da produção brasileira é barrada porque não atende a alguns requisitos – justamente os que podem ser regulados. Também participam dessa discussão, iniciada no mês passado, produtores, exportadores, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Exportação
Segundo o CEPEA (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), o volume de exportação do agronegócio no Brasil subiu 4,6% no primeiro semestre deste ano ante igual período em 2018. Na mesma comparação, o volume comercializado pela Broto Legal Alimentos ao exterior cresceu 5,10%. Os principais alimentos que a companhia exporta, na ordem de vendas, são: arroz branco, arroz parboilizado, feijão carioca e feijão preto.

A expectativa da marca é começar a exportar para Equador, Panamá, Angola, Venezuela e Ilhas no Caribe, ainda em 2019, atingindo R$ 4 milhões em vendas. Antonio Miadaira, diretor de Marketing da empresa, assinala que a participação na feira da APAS (Associação Paulista de Supermercados) foi essencial para firmar negócios internacionais.

Fonte: https://www.grupocultivar.com.br/noticias/com-padronizacao-dos-pulses-exportacao-de-feijao-pode-aumentar

Notícias
Relacionadas

Agricultura computacional, el último proyecto de Google revolucionará el campo

Agricultura computacional, el último proyecto de Google revolucionará el campo
27.11.2020

La matriz de Google, Alphabet, ha desarrollado un proyecto que cambiará la agricultura para siempre. Su objetivo es optimizar recursos y cultivar...

Ler Mais
CURSO DE CLASSIFICAÇÃO DE FEIJÃO HOMOLOGADO PELO MAPA VISANDO O CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS QUE COMERCIALIZAM FEIJÃO.

CURSO DE CLASSIFICAÇÃO DE FEIJÃO HOMOLOGADO PELO MAPA VISANDO O CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS QUE COMERCIALIZAM FEIJÃO.
26.11.2020

A ITR TREINAMENTO LTDA irá promover um Curso de Capacitação, Habilitação e Atualização de Classificadores de Feijão no período de 04 a...

Ler Mais