+55 (41) 3107-3344

|

+55 (41) 99137-1831

|

@ibrafe.org

Título da Notícia

Plant-based não é tendência, mas realidade de mercado
30.10.2020

O Ibrafe conversou com diretor de inovação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Cléber Oliveira Soares, para entender quais são as diretrizes a respeito dessa inovação chamada Plant-based e o que os produtores de Feijão e Pulses podem esperar.

 O diretor informou que o MAPA tem trabalhado com muita atenção para o desenvolvimento de cinco drives para o agronegócio no Brasil: sustentabilidade, bioeconomia, digitalização do agro, inovação aberta e food tech, onde entra a questão Plant-based.

“Estamos modelando estudos para desenvolver um plano nacional voltado para alimentos plant-based. O Brasil e o mundo precisam olhar para o incremento de alimentos que têm o alto teor de proteína, especialmente de origem vegetal, haja vista que o mundo clama por esse abastecimento. Os alimentos plant-based são modelos estratégicos para embarcar proteína de alto nível e valor nutricional sobre alimentos formulados”, informou Soares.

Demandas

Questionado sobre possíveis gargalos, o diretor afirmou que, apesar de os estudos estarem no início, foram identificadas mais oportunidades do que ameaças.

“Temos muitas oportunidades para o desenvolvimento de um programa nesse sentido. O Brasil é o maior produtor de proteína do mundo, tanto de origem vegetal, quanto animal. É oportuno embarcar essas proteínas vegetais em alimentos plant-based”, destacou Soares.

Ele acrescentou ainda que pesquisas da FAO e do Banco Mundial indicam que a pandemia trouxe um aumento de 200 milhões de pessoas passando fome mundialmente. Com isso, a demanda por formulações proteicas chega a 1 bilhão de pessoas.

“Não é só tendência. É uma necessidade. O mundo passa fome. Além disso, existe uma relação direta entre o aumento da população, a expectativa de vida e a renda. Quanto maior esses elementos, maior o consumo de proteínas de modo geral. É inequívoca a necessidade de o Brasil entrar forte para suprir essa demanda e abastecer esse mercado com proteína de alto valor embarcado, especialmente com proteínas plant-based”, enfatizou o diretor do MAPA.

Cultivos

O setor de Plant-based demanda de leguminosas que tenham alto teor de proteína. Quanto mais proteína, melhor a qualidade. Seguramente Feijões e Pulses ganham destaque e o privilégio por entregar essa necessidade, além da alta qualidade nutricional.

Notícias
Relacionadas

Proteína vegetal: por que todo mundo deveria comer mais

Proteína vegetal: por que todo mundo deveria comer mais
03.12.2020

Feijão, lentilha, soja... Conheça a família de alimentos que oferta proteína, fibra e outras substâncias bem-vindas à saúde Um interesse crescente na sustentabilidade,...

Ler Mais
Por um Brasil que consuma mais Pulses

Por um Brasil que consuma mais Pulses
02.12.2020

O brasileiro está consumindo mais pão francês do que verduras, hortaliças e Feijão. O estudo que levantou esses dados foi realizado pelo...

Ler Mais