PNF – Preço Nacional do Feijão

Mais Feijão – Preço Nacional

 

O cenário atual do mercado de feijão aponta para a ausência de um levantamento de preço nacional que atenda às exigências próprias do mercado brasileiro. Também os produtores e comercializadores se ressentem da falta de abrangentes e constantes levantamentos de preços, em um mercado a cada dia mais dinâmico, o que acaba por prejudicar a produção brasileira e a evolução desse mercado de feijão.

 

Em vista desse cenário, o IBRAFE – Instituto Brasileiro do Feijão –, na busca de uma solução definitiva para o problema apresentado, providenciará que se faça a coleta de preços do feijão, duas vezes ao dia, em cada polo de produção, via telefone, em um total de 244 consultas com 122 contatos diferentes nas cidades de maior relevância nos 5 estados com maior produção nacional. Serão monitorados os valores efetivamente praticados, consultando: produtores, agrônomos, sindicatos rurais, empresas de planejamento agrícola, bancos, cerealistas, compradores, empacotadores, agentes, corretores e demais envolvidos da cadeia produtiva.

 

A consulta será efetuada pela CISA – Centro de Informação do Agronegócios –, contratada com este objetivo. Serão acrescentados os contatos via WhatsApp dos integrantes dos já existentes grupos do “Clube Só Feijão”, compostos somente de produtores que, ao longo do dia, relatam a respeito dos preços de ofertas recebidas e de negócios, bem como condições de suas lavouras, áreas e demais informações que possam contribuir para a tomada de decisões acertadas diversas, bem como o melhor momento de venda. O levantamento buscará tomar os preços dos feijões: preto, carioca (por cor e por principais cultivares), rajados, jalos, vermelhos, caupis e demais feijões que venham a se tornar relevantes ou ainda de interesse da cadeia produtiva. Este relatório também captará o valor do feijão que tem referências internacionais, FOB porto de Paranaguá, e ainda os valores declarados como referência em São Paulo, na região do Brás.

 

Todo o processo será efetuado baseado em protocolos universalmente testados e aceitos para o processo, a exemplo dos métodos adotados em outras importantes cadeias produtivas. Após o levantamento dos valores, os mesmos serão tabulados e terão suas médias processadas, por região, sendo imediatamente divulgados os relatórios (veja figura 2), que serão disponibilizados à imprensa especializada, órgãos do governo, sindicatos rurais e na web a todos os interessados. Órgãos públicos como CONAB, Ministério da Agricultura, bem como as Secretarias de Agricultura dos estados serão instados a passar a adotar a divulgação dos valores do programa MAIS FEIJÃO – PREÇO NACIONAL. Os associados ao IBRAFE poderão ter acesso exclusivo às atualizações ao longo do dia à medida que estas ocorram. Será facultado ao associado, ainda, o acesso exclusivo ao fluxo de área, colheita e variedade dos feijões semeados e a serem colhidos.