+55 (41) 3107-3344

|

+55 (41) 99137-1831

|

@ibrafe.org

Título da Notícia

Cardápio vegetariano para cortar aos poucos a carne – e desinchar!
11.10.2019

A nutricionista Lais Murta ensina como uma alimentação com menos carne pode ser benéfica para o seu corpo.

É cada vez mais comum: muita gente tem eliminado os alimentos de origem animal da dieta num despertar de consciência em relação ao meio ambiente e aos animais. Mas os médicos e cientistas afirmam que existe mais um motivo para você evitar os bacons e bifes em alguns dias da semana: o seu corpo.

Mesmo que pareça difícil ficar longe da carne por algum tempo, se você souber manter um cardápio saudável e nutritivo, nem vai sentir saudade dela! Além de se alimentar a cada 3 horas, é importante experimentar e incluir de tudo. “Escolhas bem equilibradas fornecem grandes quantidades de compostos bioativos com efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, o que pode auxiliar no processo de perda de peso”, acrescenta a nutricionista Lais Murta.

Sem contar que, se você focar no consumo adequado de carboidratos complexos e fibras, pode ter um efeito detox no corpo e desinchar, principalmente na região abdominal. Isso porque, segundo Lais, uma flora intestinal saudável promove o melhor funcionamento do sistema digestivo. E com o intestino funcionando como um relógio, já sabe: adeus, barriguinha de cocô!

Além disso, também há um aproveitamento mais intenso de nutrientes, a modulação do seu sistema imunológico e a redução da inflamação crônica – muitas vezes causas de não conseguirmos emagrecer.

Dicas para diminuir o consumo de carne na sua alimentação
Não tem muito segredo: você precisa variar. “É claro que cada pessoa possui necessidades específicas. Mas, de uma forma geral, é preciso focar em vegetais, verduras, legumes, tubérculos, grãos integrais, oleaginosas (castanhas), sementes, leguminosas (feijões), brotos e cogumelos. Também é fundamental observar a forma de preparo dos alimentos, uma vez que isso influencia muito na disponibilidade desses nutrientes”, afirma a nutricionista. Veja mais algumas dicas dela:

Leguminosas e oleaginosas precisam passar pelo processo de remolho ou germinação antes de serem consumidos;
Temperar os vegetais com vinagre de maçã ou limão auxilia na absorção de minerais;
Os vegetais ricos em proteínas são as leguminosas (feijões, grão-de-bico, lentilha, ervilha, edamame, tofu), cereais (arroz, quinoa, amaranto, milho) e cogumelos. Eles garantirão os aminoácidos essenciais substitutos da proteína animal;
Para quem é vegetariana (e não vegana), ainda existem como boas opções proteicas os ovos e os queijos maturados. Contudo, por serem ricos em gorduras saturadas de cadeia longa (mais inflamatórias), devem ser consumidos com moderação.

Cardápio vegetariano de 2 semanas
Não sabe por onde começar? Que tal testar já? A nutricionista montou um cardápio de 2 semanas para quem quer excluir a carne do cardápio aos poucos e sem muito sofrimento. Nele, você evita os alimentos de origem animal somente em algumas refeições durante a semana 1, e evolui na restrição na semana 2. Dá uma conferida:

Semana 1
Segunda:

Café da manhã: 1 bowl de salada de frutas, 1 ovo frito e 1 pão de mandioquinha;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas; quiabo refogado e 1 sobrecoxa assada ao molho de ervas;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas, 1 porção de arroz negro, 1 porção de grão-de-bico cozido e aspargos refogados.
Terça:

Café da manhã: morangos frescos; mexido de legumes com tofu e batata-doce assada;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas; abobrinha refogada e filé de peixe assado;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas, batata-doce assada, ervilha-torta refogada e purê de abóbora.
Quarta:

Café da manhã: 1 copo de suco verde e 1 panqueca de banana;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas, aspargos refogados e iscas de filé mignon aceboladas;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas, arroz integral com brócolis e feijão-preto cozido.
Quinta:

Café da manhã: 1 fatia de mamão papaia com farelo de aveia, omelete de 2 ovos simples;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas e mexido de legumes com tofu;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas, purê de mandioquinha, salada de grão-de-bico cozido e escarola refogada.
Sexta:

Café da manhã: 1 copo de suco verde, mexido de legumes com tofu e mandioca amassada;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas, legumes assados variados e filé de frango ao molho de limão siciliano;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas e torta vegetariana.
Semana 2
Segunda:

Café da manhã: 1 copo de suco verde, 1 pão pequeno de mandioquinha com homus roxo ou patê de tofu;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas, purê de couve-flor anti-inflamatório e almôndegas de legumes com nozes;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas e suflê de chuchu.
Terça:

Café da manhã: 1 copo de suco de hibisco com morango, bolachas de arroz integral com pasta de berinjela;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas, quiabo refogado e nhoque de inhame com tofu;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas, macarrão bifum com shiitake.
Quarta:

Café da manhã: 1 fatia de mamão papaia com leite de coco em pó salpicado por cima e 1 pão pequeno de mandioquinha com homus ou patê de tofu;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas, arroz integral, feijão-preto cozido e purê de abóbora;
Jantar: 1 prato fundo de sopa de ervilha.
Quinta:

Café da manhã: 1 copo de suco verde e bolachas de arroz integral com homus;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas e macarrão bifum com shiitake;
Jantar: 1 prato raso de salada de folhas variadas e torta vegetariana.
Sexta:

Café da manhã: 1 copo de suco de hibisco com morango e bolinhos de coco proteicos;
Almoço: 1 prato raso de salada de folhas variadas, 1 panqueca vegetariana;
Jantar: 1 prato fundo de sopa cremosa de cogumelos com alho-poró.

Fonte: https://boaforma.abril.com.br/dieta/cardapio-vegetariano-para-cortar-aos-poucos-a-carne-e-desinchar/

Notícias
Relacionadas

Estudo da UFMG aponta que ‘arroz com feijão’ e azeite extravirgem reduzem inflamações em obesos

Estudo da UFMG aponta que ‘arroz com feijão’ e azeite extravirgem reduzem inflamações em obesos
07.12.2021

Pacientes com obesidade grave tiveram parâmetros inflamatórios reduzidos após 12 semanas de consumo de azeite extravirgem associado à dieta com padrão brasileiro...

Ler Mais
Estudo inédito avaliou feijão em Mato Grosso

Estudo inédito avaliou feijão em Mato Grosso
01.12.2021

Estado é é o quarto maior produtor brasileiro e cultiva carioca, caupi e preto. O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em parceria...

Ler Mais