Bom senso e matemática estimulam produtor a esperar

Por: IBRAFE,

15 de agosto de 2023

Responsive image

Um produtor de Goiás, que optou em esperar para vender os 70% restantes de sua colheita de Feijão-carioca irrigado deste ano, definiu sua estratégia como “bom senso e matemática”. Ele não tem um armazém climatizado, mas está expurgando adequadamente o Feijão e buscando isolar ao máximo da luz. Este cuidado, somado ao fato de ter plantado uma variedade de Feijão-carioca de escurecimento lento, vai dar a ele a chance de não vender neste momento.
A lógica dele é também a de centenas de produtores. Se o preço mínimo do próprio governo federal está ao redor de R$ 210 para o Feijão-carioca, não parece razoável esperar que os preços fiquem muito tempo onde estão. Ontem, houve muita procura para uma segunda-feira de meio de mês, mas poucos negócios foram realizados.
Um empacotador experiente do Paraná comentou que, ainda esta semana, a necessidade prevalecerá sobre o receio de pagar mais caro. “O risco”, diz ele, “é chegar no...

Mais
Boletins

CONAB superestima a safra de Feijão deste ano
12/07/2024

Depois de uma terça-feira agitada voltou a calma no mercado
11/07/2024

Compradores mais ativos nesta semana
10/07/2024

Mosca Branca e Mosaico Dourado: o bicho pegou
09/07/2024

Mercado de Feijão no Brasil: Análise e Reflexões
08/07/2024