Mercado dá sinais de reação

Por: IBRAFE,

20 de setembro de 2023

Responsive image

Devagar, devagarinho começam a aparecer mais empacotadores comentando que já está ficando mais difícil encontrar Feijão-carioca nos preços abaixo de R$ 200 com a nota de cor da semana passada. Claro que esta é um tendência que não aparece de uma hora para outra, mas vai chegar o momento que o bilhete premiado para os compradores vai ter passado. Ainda há e haverá por mais alguns dias produtores com contas a pagar inadiáveis, mas o cenário irá gradativamente mudando. Feijão-preto da Argentina chega para quem importa agora a cerca R$ 300 na fronteira. O Rajado tem como referência R$ 280 mas houve confirmação de negócio a R$ 300. Para um negócio apenas, não se pode dizer ainda que reagiu.
Mas hoje será um dia especial. Submetemos ontem no Ministério da Agricultura, na Câmara Setorial o Movimento Pró Feijão que foi muito bem recebido. São verticais que abrangem o s diversos desafios que existem para o desenvolvimento do setor. O mais urgente insistimos tanto na Câmara quanto depois em reunião com a Secretária Executiva do MAPA que é campanha para aumento de consumo. Nunca houve momento mais propicio para envolver todos os setores do governo em uma frente para desenvolver o consumo. Seja porque economicamente é interessante, ou seja, pelo aspecto social de não deixar pessoas sem alimentos suficientes a verdade é que a hora é agora. Vamos trazer a você nos próximos dias o papel de cada um de nós que estamos envolvidos em tudo isso.

Mais
Boletins

Quebra na safra e menor área indicam alta consistente dos preços em 2024
01/12/2023

Em 16 dias o ano comercial termina
30/11/2023

População absorve alta de preços
29/11/2023

Santa Catarina reuniu especialistas em Feijão
28/11/2023

Feijão-preto bate recorde
27/11/2023